Por que Philomanager?

Temos Product Managers que vieram de várias áreas, programadores, designers, marketing, entre outras. Porque não Filósofos?

No final da década de 90, eu estava fazendo graduação em Biologia ao mesmo tempo que arriscava umas linhas de código em Java e C, nesta época tivemos uma grande mudança no Brasil, a Internet começou a entrar com peso, com isto migrei completamente de área e comecei a programar, foi paixão a primeira vista — nunca mais me afastei de uma linha de comando.

Depois virei empresário, fui co-fundador de duas startups, e então migrei novamente para atuar 100% como produto em outras empresas — Decisão bem na “crise” dos 40.

Toda minha bagagem de programador e empreendedor ajudou demais na execução do meu trabalho como Product Manager, mas ainda faltava alguma peça, entender a cabeça do usuário.

Foi na Filosofia que me encontrei e ainda fiz um merge com Produto.

O PM é responsável pelo sucesso do produto, mas antes de tudo, ele precisa entender o usuário. seu contexto, motivação, habilidades e necessidades.

Para isso o PM precisa estudar muito, ler e acompanhar vários autores de UX, Comportamento, Psicologia, Neurociência, entre outras.

Uma disciplina que ensina a pensar de forma neutra, de avaliar o contexto, saber questionar, refletir e digerir, para então formular um pensamento, é a Filosofia.

Mudar o ponto de vista foi fundamental, hoje em dia eu seguro a ansiedade e passo pelo fluxo de questionar, refletir e aplicar.

Uma mistura de Sócrates com Simon Sinek, em busca do “parto” das melhores ideias.

O objetivo com este projeto vai ser divulgar muito do que já temos em vários canais de conteúdo, mas, trazendo um ponto de vista diferente. Não quero trazer como usar um framework, quero questionar o porque precisamos dele, e nesta linha de pensamento, extrair o melhor em seu uso e entendimento.

Ricardo Monteiro

Questione | Reflita | Aplique